• islamedialogo1

A EXISTÊNCIA MULTIDIMENSIONAL E A ASCENSÃO

A fim de esclarecer as coisas sutis e verdades abstratas, costumamos fazer uso de comparações, e comparar essas questões e verdades com coisas concretas do mundo material.


Para tais comparações serem possíveis e potencialmente de valor, tem de haver alguma semelhança entre as coisas que são comparadas umas com as outras. No entanto, uma vez que tanto a jornada do Profeta de Meca a Jerusalém (a Viagem Noturna) e sua Ascensão (al-Mi’raj) através das dimensões de existência são milagres sem igual ou semelhança no mundo material, o método de comparação não pode ser aplicado. Estes eventos só podem ser conhecidos e compreendidos por ensinamentos de Deus. No entanto, os nomes dos “veículos” mencionados nas tradições proféticas com respeito tanto da Jornada Noturna e da Ascensão - Buraq (derivado de Barq, ou seja, um raio) - e do próprio nome da jornada através das dimensões da existência, Mi’raj (que significa escada), aludem ao fato de que podemos nos referir a certas verdades científicas para fazerem este milagre compreensível pela “restrita” mente humana.


A física atômica mudou muitas noções de física e estabeleceu que o mundo material é uma dimensão ou uma aparência de existência. Paralelamente a este mundo, há muitos outros mundos ou dimensões de existência, cada um com suas peculiaridades.


Einstein apresentou a ideia de que o tempo é apenas uma das dimensões da existência. A ciência ainda não chegou a uma conclusão final sobre a existência, e novas descobertas e desenvolvimentos continuamente mudam a nossa compreensão. Portanto, especialmente hoje, seria irracional questionar o evento da Ascensão.


Na Ascensão, o Profeta Muhammad (que Deus o abençoe e lhe dê paz) deve ter se mudado com a velocidade do espírito e viajado por todo o tempo e espaço e todas as dimensões da existência em um período muito curto. As pessoas podem ter dificuldade em entender como um ser físico mortal, pode fazer uma viagem e observar toda a existência, com o seu passado e futuro. A fim de compreender esta matéria sutil, considere esta analogia: Imagine que você está em pé, com um espelho na mão, com tudo refletido na direita representa o passado, enquanto tudo refletido na esquerda representa o futuro. O espelho pode refletir apenas uma direção, uma vez que não pode mostrar os dois lados ao mesmo tempo em que você está segurando. Se você deseja refletir ambas as direções ao mesmo tempo, você vai ter que subir acima da sua posição original, de modo que a esquerda e a direita estejam unidas em um único e nada resta a ser chamado de primeiro ou o último, começo ou fim.


Como nessa comparação, o Mensageiro viajou através das dimensões da existência, incluindo o tempo e o espaço, e chegou a um ponto de onde podia penetrar o tempo todo como um único ponto em que o passado, presente e futuro estão unidos.


Durante essa jornada celestial, o Mensageiro se reuniu com os Profetas anteriores, viu anjos, e viu as belezas do Paraíso e os terrores do Inferno. Ele também observou as realidades essenciais de todos os assuntos do Alcorão e os significados e a sabedoria em todos os atos de adoração. Ele foi tão longe quanto os reinos- onde até mesmo o maior dos anjos, Gabriel, não pode alcançar - e foi homenageado com a visão do “Rosto” de Deus, livre de quaisquer dimensões qualitativas ou quantitativas ou restrições. Em seguida, a fim de levar os humanos fora da escuridão da existência material para o reino iluminado de fé e da adoração, através da qual eles poderiam realizar uma ascensão espiritual cada um segundo a sua capacidade, ele voltou para o mundo, onde foi submetido a todos os tipos de perseguição.


Fonte: Ünal, Ali: O Alcorão com Interpretação Anotada, Tughra Books 2015

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo