• CIDI

A Natureza do Nosso Livre Arbítrio


O nosso livre arbítrio não é visível e não possui existência material. Porém, esses fatores não tornam sua existência impossível. Cada um tem dois olhos (físicos), mas também podemos ver com um terceiro (espiritual). Usamos os primeiros para ver coisas neste mundo; usamos o último para ver coisas além dos eventos e desse mundo. O nosso livre arbítrio é como o nosso terceiro olho, que podemos chamar de percepção. É uma inclinação ou força interior por intermédio da qual nós preferimos e decidimos.



Nós decidimos e Allah cria. Um projeto ou uma planta de construção não tem valor ou uso a menos que você comece a construir o edifício e acordo com ela, tornando-o visível e servindo muitos propósitos. O nosso livre arbítrio parece-se com aquela planta, uma vez que decidimos e atuamos de acordo com ele, e Allah cria as nossas ações como resultado das nossas decisões. Criar e agir são coisas diferentes. A criação de Allah significa que Ele concede a existência real às nossas escolhas e ações neste mundo. Sem a criação de Allah não podemos agir.


Para iluminar um local magnífico devemos instalar um sistema de iluminação. Porém, o local não pode ser iluminado até que liguemos o interruptor que acende as luzes. Até fazermos isso, o local permanecerá no escuro. Similarmente, cada homem e mulher é um magnífico palácio de Allah. Somos iluminados por crermos em Allah, Que nos concedeu o sistema de iluminação necessário: intelecto, razão, sentido e capacidades para aprender, comparar e preferir.


A natureza e os eventos, bem como as religiões divinamente reveladas são como a fonte de eletricidade que ilumina esse palácio divino do indivíduo humano. Se não utilizarmos o nosso livre arbítrio para ligar o interruptor, porém, permanecemos na escuridão. Acendendo a luz significa solicitando a Allah para iluminar-nos com crença. De maneira adequada a um servo na porta do amo, devemos solicitar ao Senhor do Universo iluminar-nos, tornando-nos, assim, um “rei” ou uma “rainha” no universo. Quando fazemos isso, o Senhor do Universo nos trata de forma adequada a Ele, e nos promove a um nível de realeza sobre outros reinos da criação.


Allah leva em consideração o nosso livre arbítrio quando trata conosco e os nossos atos, e então o utiliza para criar as nossas ações. Assim, nunca somos vítimas do Destino ou maltratados pela sorte. Por mais insignificante que seja o nosso livre arbítrio quando comparado com os atos criativos de Allah, continua ser a causa dos nossos atos. Allah faz grandes coisas de minúsculas partículas, e cria muitos importantes resultados de simples meios. Por exemplo, Ele faz uma enorme árvore de pinho de uma minúscula semente, e usa as nossas inclinações ou livre escolha para preparar a nossa eterna felicidade ou punição.


Para melhor entender a nossa parte, e que o nosso poder de decisão em nossos atos e conquistas, considere o alimento que consumimos. Sem o solo e a água, o ar e o calor do sol, nada dele podemos criar, apesar de nossa avançada tecnologia, não teríamos qualquer alimento.

Não podemos produzir mesmo uma semente de milho. Não criamos o nosso corpo, uma única parte dele não consegue controlar ou estabelecer sua relação com o alimento. Por exemplo, se nós tivéssemos de dar corda ao nosso coração como a um relógio numa determinada hora a cada manhã, quanto tempo sobreviveríamos?


Obviamente, quase todas as partes de todo o complexo e harmonioso universo, que é o organismo mais evoluído, trabalham conjuntamente à mais delicada medida para produzir um bocado de alimento. Assim, o preço do bocado é quase tanto quanto o preço de todo o universo. Como podemos possivelmente pagar esse preço, quando a nossa parte de produzir aquele bocado é inteiramente insignificante, consistindo em não mais do que o nosso próprio esforço?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo