• CIDI

O Espírito e Sua Identidade II

O Espírito Manifesta-se Principalmente no Rosto da Pessoa


Certamente, o nosso rosto é uma janela aberta no nosso mundo interno, uma vez que os seus traços desvendam o nosso caráter. Os psicólogos afirmam que quase todos os nossos movimentos, mesmo tossindo, revelam o nosso caráter. A habilidade facial revela as habilidades do caráter da pessoa, as capacidades, e a personalidade resultante na fisionomia, a arte de julgar o caráter pelas feições faciais. O espírito determina essas feições.


As células do nosso corpo se renovam continuamente. A cada dia, milhões de células morrem e são substituídas. Os biologistas dizem que todas as células do corpo são renovadas a cada 6 meses. Apesar dessa renovação contínua, as principais feições do rosto continuam inalteradas. Nós reconhecemos os indivíduos de seus rostos inalterados e de impressões digitais. As células dos dedos mudam, divido à renovação ou a algum ferimento, mas as impressões nunca mudam. Cada espírito único do indivíduo torna essas feições distintas sempre estáveis.


Nosso Espírito nos Torna Único


O nosso corpo experimenta mudanças ininterruptas no decorrer de sua existência. Essa mudança é dirigida para o crescimento físico e o desenvolvimento até certo período, tornando-se gradualmente mais forte e mais perfeito. Quando esse crescimento para, num certo ponto, a decadência começa. Diferente dos nossos corpos, podemos crescer continuamente em aprendizagem e desenvolvimento, decair espiritual e intelectualmente, ou pararmos e mudarmos de direção enquanto estivermos nos desenvolvendo ou decaindo. A nossa educação moral, espiritual e intelectual não depende da nossa mudança física.


Além do mais, as nossas diferenças morais, espirituais e intelectuais nada têm a ver com a nossa estrutura física. Apesar de sermos compostos da mesma substância de elementos físicos e materiais, somos moral e intelectualmente únicos. Que parte de nós recebe essa educação moral e intelectual e que parte é treinada fisicamente? Será que o treino físico tem alguma relação com o aprendizado ou com a educação moral e intelectual? Será que as pessoas bem desenvolvidas são mais inteligentes ou possuem mais moral que os outros?


Se o treino físico ou o desenvolvimento não afetam o nosso nível científico, moral e intelectual, por que não aceitamos a existência do espírito? Como podemos atribuir ao aprendizado e à educação moral e intelectual a alguns processos bioquímicos no cérebro? Será que esses processos são mais rápidos em algumas pessoas? Será que alguns são mais inteligentes porque possuem processos mais rápidos, ou o processo é mais rápido porque alguns estudam e assim ficam mais espertos? Que relação esses processos têm com a nossa educação espiritual, moral e de desenvolvimento? Como podemos explicar as diferenças que a adoração regular faz ao rosto do indivíduo? Por que os rostos dos crentes são mais radiantes do que os dos incrédulos?


As nossas mudanças físicas não engendram mudanças paralelas no nosso caráter, na nossa moralidade ou no nosso pensamento. Como podemos explicar isso a não ser admitindo que o espírito existe e é o centro do pensamento e do sentimento, da escolha, da decisão, do aprendizado e da formação de opinião, e das preferências, e a causa do caráter único?


O Nosso Espírito Sente e Crê ou Nega


Todas as pessoas possuem inumeráveis e complexos sentimentos: amor e ódio, felicidade e tristeza, esperança e desespero, ambição e a habilidade de imaginar, alívio e tédio etc. Nós gostamos e desgostamos, apreciamos e depreciamos, experimentamos medo e timidez, bem como coragem e entusiasmo. Nós nos arrependemos, ficamos excitados e almejamos várias coisas. Se consultarmos um dicionário, encontramos centenas de palavras que expressam os sentimentos humanos. Porém, não “sentimos” todos da mesma forma. Devemos refletir sobre o que está acontecendo ao nosso redor, a beleza da criação, o desenvolvimento de nós mesmos por intermédio de estudo, comparação, razão, e assim crer no Criador de tudo. A adoração e a obediência aos Seus Mandamentos causam o nosso desenvolvimento moral e espiritual, até que finalmente somos perfeitos. Como podemos explicar esse fenômeno a não ser admitindo que cada ser humano tem um espírito cônscio? Podemos atribuí-los aos processos químicos no cérebro?


Somos, Acaso, Apenas Corpos Físicos?


Se somos apenas entidade física de sangue e ossos, carne, tecidos e atribuímos todos os nossos movimentos aos processos bioquímicos no cérebro, por que devemos obedecer a qualquer lei? Estabelecemos que o nosso corpo físico seja renovado a cada seis meses. Se estivermos sendo julgados por um crime que cometemos há um ano não seria a seguinte conversa inteiramente lógica, dada a compreensão acima?


Juiz: Quando você cometeu o crime?

Réu: Um ano atrás.

O juiz anuncia o veredicto: Uma vez que o crime foi cometido um ano atrás, e as células do réu, incluindo as do dedo do gatilho, foram completamente repostas, e uma vez que é impossível punir o criminoso atual, o júri votou pela absolvição.


Como alguém pode ser uma entidade meramente física? Podem os seus movimentos, sentimentos, pensamentos, crenças e decisões serem o resultado de processos bioquímicos do cérebro? Tais assertivas são insustentáveis. A principal parte do nosso ser é o nosso vivo e cônscio espírito. Essa parte do nosso corpo sente, pensa, crê deseja, decide e usa o corpo para decretar suas decisões.


O Espírito é a Base da Vida Humana


Allah age nesse mundo por intermédio de causas. Porém, há muitos outros mundos ou reinos: o mundo das ideias, dos símbolos, das formas imateriais, das dimensões internas das coisas e dos espíritos, onde Allah age diretamente e onde a matéria e as causas não existem. O espírito é insuflado diretamente no embrião, tornando o uma manifestação do Divino Nome do Vivente e, portanto, a base da vida humana. A exemplo das leis naturais, que resultam do mesmo reino do espírito, o espírito é invisível e conhecido através de suas manifestações.


Nesse mundo, a matéria é refinada a favor da vida. Um corpo sem vida, não importa o tamanho, como a montanha, é apenas passivo e estático. Mas, a vida capacita uma abelha a interagir com quase todo o mundo, podendo dizer: “esse mundo é o meu jardim, e as flores são meus parceiros nos meus trabalhos”. Quanto menor um corpo for, a vida se torna mais ativa, mais surpreendente e poderosa. Compare uma abelha, uma mosca, ou mesmo um micro-organismo com um elefante. Quanto mais refinada a matéria, é mais ativo e poderoso o corpo fica. Por exemplo, a madeira produz chama e carbono quando queima, e a água evapora quando é esquentada. Deparamo-nos com a energia elétrica no mundo atômico e subatômico. Não podemos vê-la, mas estamos cientes de sua presença e poder por meio de sua manifestação.


Isso significa que a existência não está limitada, apenas a este mundo; ou melhor, este mundo é apenas a aparente, a mutável e instável dimensão da existência. Atrás dele fica a dimensão pura e invisível que utiliza a matéria para ser vista ou conhecida. Como o espírito pertence àquela dimensão, é, portanto, puro e invisível. Os argumentos para a existência do espírito afirmam também a existência do Criador. Como segue:


• Da mesma forma que o nosso corpo, que Allah criou dos elementos, necessita do espírito para controlá-lo, o universo (e o que contém) necessita de Allah para fazê-lo existir, para comandá-lo e controlá-lo.


• Cada corpo tem um espírito que o torna vivo e o controla. Portanto, deve haver um Senhor Único, sem parceiro para criar e controlar o universo. Senão, o desastre e a confusão seriam inevitáveis.


• O espírito não está localizado num local específico ou em parte do corpo. Ele deve mesmo deixar o corpo e, como no caso dos sonhos, manter a sua relação com o corpo por intermédio de uma corda específica ligada a ele. Da mesma forma, Allah, o Todo- Poderoso, não está contido pelo tempo e pelo espaço. Ele está sempre presente em todo lugar e em nenhum lugar, enquanto o espírito está no corpo e está contido pelo tempo e espaço.


• Há apenas um sol, e o mundo está muito longe dele. Porém, o sol está presente em todo lugar através de seu calor e luz, e via reflexão pode aparecer em cada coisa transparente. Por isso, podemos dizer que o sol está mais perto das coisas do que as coisas delas mesmas. O espírito tem a mesma relação com o corpo, bem como com todas as suas separadas células. Essa analogia pode auxiliar nos a compreender a relação de Allah com a existência. Ele controla e direciona todas as coisas ao mesmo tempo como a uma só coisa e, apesar de estarmos infinitamente distantes d’Ele, Ele está mais perto de nós do que nós mesmos.


• O espírito é invisível, e a sua natureza é desconhecida. Da mesma maneira, não podemos pensar em ou imaginar Allah como Ele realmente é, pois a Sua Essência não pode ser conhecida. Como o espírito, O Todo-Poderoso Allah é conhecido através das manifestações de Seus Nomes, Atributos e Essência.


O Nosso Espírito Possui a sua Própria Cobertura

Quando o espírito deixa o corpo na morte, ele retém a sua cobertura, como uma coisa “negativa” do corpo. É chamada por muitos nomes: o envelope da luz, a figura etérea da pessoa, a forma energética, o segundo corpo, o corpo astral, o dublê (daquela pessoa), e fantasma.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo