• islamedialogo1

Por que o Satanás foi Criado?

Atualizado: Jul 4

Satã e a Humanidade


O gênio que conhecemos como Satanás, foi criado do fogo. Antes de a sua obediência e sinceridade serem testados por intermédio de Adão, ele vivia entre os anjos, agindo e adorando como eles faziam. Diferente dos anjos, porém, que não se rebelam contra Allah (66:6), Satanás (chamado Iblís antes deste teste) era livre de escolher o seu método de conduta. Quando Allah o testou e aos anjos, ordenando-os de se prostrassem perante Adão, a semente de sua presunção e desobediência floresceu nele e o dominou. Ele replicou na sua vaidade: “Sou superior a ele; a mim me criaste do fogo, e a ele, dobarro.” (38:76).


Por que o Satanás foi Criado?


Satanás foi criado por propósitos importantes. Se Satanás, que continuamente tenta nos seduzir, não existisse, a nossa criação seria sem sentido e fútil. Allah tem inumeráveis servos que não se rebelam e assim fazem o que lhes é ordenado. Realmente, a existência de um Ser absolutamente Divino, que possui muitos belos Nomes e Atributos, requer, não por causa de algumas necessidades externas, mas por causa da natureza essencial de Seus Nomes, que Seus Nomes sejam manifestos. Ele manifesta todos os Seus Nomes por intermédio da humanidade.


Uma vez que Allah tem Livre Arbítrio, Ele também nos concedeu o livre arbítrio. Nós sentimos que há uma constante batalha no nosso mundo interior para escolher entre o bem e o mal. Além disso, Allah nos concedeu grandes potencialidades. Assim, ao conhecermos o bem e o mal e escolhermos o bem, ou ao utilizarmos o nosso livre arbítrio de forma correta, podemos evoluir espiritualmente. Da mesma forma que Allah enviou falcões sobre pardais, os últimos podem desenvolver o seu potencial de escape, Ele criou Satanás e permitiu-lhe tentar-nos para que a nossa resistência à tentação nos eleva espiritualmente e fortaleça a nossa força de vontade. Da mesma forma que a fome estimula os seres humanos e animais a se empenharem mais e descobrirem novas formas de se satisfazerem, e o medo inspirar novas defesas, a tentação de satã nos força a desenvolvermos nossos potenciais e nossa guarda contra o pecado.


Há uma infinita linha reta de evolução espiritual entre os níveis dos maiores profetas e sábios religiosos descendo para pessoas como o Faraó e Nemrud. Todavia, não pode alegar que a criação de Satanás é má. Apesar de Satanás ser mau e servir a vários importantes propósitos, a (cada) criação de Allah envolve o universo como um todo e deve ser entendido em relação aos resultados, não apenas com respeito aos próprios atos. Tudo que Allah faz ou cria é bom e belo em si ou em seus efeitos. Por exemplo, a chuva e o fogo são muito úteis, mas que podem causar grandes danos quando violados. Logo, ninguém pode alegar que a criação da água e do fogo não é totalmente boa. O mesmo acontece com a criação de Satanás. Seu principal objetivo é causar o desenvolvimento do nosso potencial, fortalecendo a nossa força de vontade, resistindo às suas tentações, e nos elevarmos aos mais altos níveis espirituais.


Para o argumento apresentado por alguns que Satanás leva muitas pessoas a desacreditarem e o subsequente castigo no Inferno,

dizemos:


Primeiro: Apesar de Satanás ter sido criado para muitos bons e universais propósitos, muitas pessoas podem ser iludidas por ele. Mas Satanás apenas sussurra e sugestiona; ele não pode forçá-lo a se envolver em maldades e pecados. Se você for tão fraco que as falsas promessas dele o iludem, e você permite ser puxado para baixo, você mercê a punição do Inferno por mau uso de uma importante faculdade concedida por Allah que o capacita a desenvolver seu potencial e se elevar aos níveis mais altos. Você deve usar o seu livre arbítrio, que o torna ser humano e lhe dá a mais alta posição na criação, apropriadamente para melhorar a sua evolução intelectual e espiritual. Senão, você deve se lamentar por ter sido honrado com livre arbítrio e, portanto, de constituir em ser humano.


Segundo: Uma vez que qualidade é mais importante que quantidade, devemos considerar a os valores qualitativos como oposto aos quantitativos quando fazemos o nosso julgamento. Por exemplo, 100 sementes de tâmaras valem apenas 100 centavos se não são plantadas. Se 20 por cento das sementes germinarem como árvores em detrimento dos 80% por causa de muita água, podemos, acaso argumentar que é um mal plantar e regar as sementes? Penso que todos nós concordamos que é inteiramente bom ter 20 árvores em troca de 80 sementes, uma vez que 20 árvores podem produzir 20.000 sementes.


Novamente, 100 ovos de pavões podem valer um par de dólares. Mas se apenas 20 ovos chocam e o resto não, quem pode dizer que é errado arriscar estragar 80 ovos para se ter 20 pavões? Ao contrário é inteiramente bom ter 20 pavões ao custo de 80 ovos uma vez que os 20 pavões irão botar muito mais ovos.


Ele se dá com a humanidade. Em se combater Satanás e seus comandados do mal, muitas pessoas “imprestáveis” sensatas e sábias, sinceras e morais. Todas essas pessoas constituem no sol, na lua e nas estrelas do mundo humano.


Autor: M. Fethullah Gülen

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo