SUA VIDA

A vida do Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) prova a sua condição de Mensageiro e prediz a sua profecia. Considere os seguintes fatos:

 

• Os extraordinários eventos da noite de seu nascimento, o caráter diferente que ele apresentou mesmo como criança, e os sinais significativos que as pessoas de visão observaram nele que ele assumiria uma grande missão.1

 

• Antes de seu comissionamento como Profeta, ele se opôs à injustiça e se juntou a organizações como Hilf al Fudul, que defendeu as pessoas incapazes e restaurou os direitos usurpados.

 

• Apesar da honorável descendência, ele nunca levou uma vida de luxo, ao contrário, ele cresceu como órfão sob a proteção do avô e então de seu tio. Todo o dinheiro que ele ganhou com o comércio antes e depois de seu casamento ele utilizou para ajudar os órfãos, as viúvas e os pobres. Assim, ele nunca ficou rico e não teve fortes financiadores.

 

• Apesar da corrupção moral da sua comunidade, ele teve uma vida de extraordinária castidade, disciplinada e de moral elevada. Durante a sua infância, ele tencionou apenas duas vezes de participar de cerimônias matrimoniais, mas foi dominado por um sono em ambas as ocasiões. (Assim, ele não viu coisas impróprias e práticas que o Islam condenaria mais tarde.) Quando estava com 25 anos de idade ele casou-se com Khadija, uma respeitada viúva de 40 anos de idade. Ele se casou novamente após o seu falecimento 25 anos depois. Aqueles que o conheciam disseram que ele era mais tímido do que uma jovem na sua noite de núpcias.

 

• A infância e a juventude de Muhammad foram um prelúdio à sua condição de Profeta. Mesmo os seus inimigos o chamavam de “o honesto” uma vez que ninguém negaria que ele fosse totalmente honesto e confiável. As pessoas diziam: “Se você viajar, você pode confiar sua família e os seus pertences a Muhammad, sem hesitação.” Uma vez, quando os coraixitas estavam reconstruindo a Caaba, uma questão quanto a honra individual e familiar surgiu sobre quem iria recolocar a Pedra Negra no lugar destinado a ela. Para prevenir a violência, todos aceitaram deixar Muhammad decidir. Ele pediu-lhes para trazerem um pedaço de tecido que ele estendeu no chão. Ao colocar a Pedra Negra nele, pediu a cada chefe de tribo para segurar num dos cantos do tecido e erguer a Pedra Negra até a altura necessária. Feito isso, ele recolocou a Pedra no lugar.

 

• Muhammad era iletrado. Durante toda a sua vida, ninguém lhe ensinou e nenhuma obra escrita o influenciou. Aos quarenta anos de idade ele começou a fazer retiro na caverna de Hirá. Um dia ele apareceu com uma nova, totalmente autêntica mensagem para curar as feridas da humanidade, e desafiou todos os gênios da literatura para produzirem algo semelhante.

 

• Seus inimigos o acusaram de mentiroso ou charlatão. Para evitar a proliferação do Islam, eles o taxaram de poeta, feiticeiro, mágico ou lunático. Algumas vezes tentaram justificar a sua rejeição por falsos pretextos como: “Se esse Alcorão fosse revelado para alguns grandes homens das duas cidades (Makka e Taif).”

 

• Como pode um homem de 40 anos de idade, universalmente aclamado pela sua sociedade como completamente honesto e leal, que não possui imperfeição moral e intelectual, repentinamente e inesperadamente comece a mentir e engane seu povo sem nunca ser pego mentindo? Mesmo seus inimigos que o conheciam havia anos, nunca o acusaram disso. Eles nunca o pegaram mentindo, não conseguiram aceitar o seu desafio de produzirem um documento similar, e não conseguiram desacreditá-lo. Após anos de conflitos armados, efetuados por motivos fúteis, mesmo os seus mais ferrenhos inimigos (isto é, Safwan Ibn Umaiya, Abu Sufian Ibn Harb, ‘Amr Ibn Al ‘Ás, Ikrima Ibn Abi Jahl) finalmente aceitaram a verdade de sua mensagem. Quando ele foi encarregado da tarefa da profecia a sua vida em nada mudou. Há também vários pontos a considerar:

 

• Se o Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) almejava alcançar objetivos e intenções pessoais, porque ele aguardou até os 40 anos de idade para alegar a profecia?

 

• Até os 40 anos de idade ninguém nunca ouviu Muhammad proferir uma declaração eloquente, falar de assuntos religiosos e metafísicos, formular leis ou manusear espada. Como ele mudou tão repentinamente de uma pessoa reservada, tranquila e completamente apolítica no maior reformador a história conheceu? Ele explicava intricados problemas metafísicos e teológicos, porque nações e cânones éticos tiveram declínio e queda; apresentou leis relacionadas com a cultura social, organização econômica, conduta de grupo e relações internacionais; e se tornou tão determinado que nunca se retirou de uma batalha. Ele reformou os modos de pensamento, as visões mundiais, as crenças, os hábitos e as condutas de seu povo.

 

• O Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) combinou muitas regras e as suas próprias excelências pessoais numa só personalidade. Ele é um homem de sabedoria e visão, uma personificação viva de seus próprios ensinamentos; um fabuloso estadista e gênio militar; um legislador e mestre de conduta; um iluminador espiritual e orientador religioso. Ele vê a vida compreensivelmente, e todo que ele toca é melhorado e adornado. Seus ensinamentos regulam tudo desde as relações internacionais ao modo de se alimentar, beber, dormir e fazer a higiene pessoal. Ele utilizava esses ensinamentos para estabelecer uma civilização e uma cultura que produziu um fino, sensível e perfeito equilíbrio em todos os aspectos da vida que nenhum traço de uma falha, deficiência ou de falta foi encontrada nele. Que alegados defeitos e imperfeições lhe negaram seu status como Profeta e Mensageiro de Allah?

 

• O Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) viveu como o mais pobre de sua comunidade. Todos os seus recursos foram usados para divulgar o Islam. A despeito de sua grandeza, ele se apresentou como a mais humilde ordinária pessoa. Ele não visou nenhuma recompensa material ou proveito, não deixou propriedade para os seus herdeiros, e ordenou os seus seguidores de não destinarem algo a ele ou a seus descendentes. Realmente, ele proibiu a sua família e descendentes de receberem a zakat (tributos).

 

• O Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) era extremamente misericordioso. Em Makka, persistentes perseguições certamente forçaram-no a migrar para Madina. Porém, quando ele finalmente conquistou Makka sem derramamento de sangue, depois de 5 anos de conflito armado, ele perdoou todos os seus inimigos, incluindo os hipócritas e os incrédulos. Ele sabia quem eram os hipócritas, mas ocultou a sua identidade para que pudessem desfrutar de seus direitos de cidadãos que sua confissão de fé e prática lhe permitiam.

 

• O Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) era particularmente apaixonado por crianças. Quando via uma criança chorando, ele se sentava ao lado dela e dividia os seus sentimentos. Ele sentia a dor da mãe pelo filho mais do que a própria mãe. Uma vez ele disse: “Quando estou orando, desejo prolongar a oração. Porém, ouço o choro de alguma criança e encurto a oração pela mãe dele que está praticando a oração em congregação. “Ele carregava as crianças no colo e as acalentava, algumas vezes as carregava nos ombros. Quanto aos animais, ele disse que uma prostituta foi orientada por Allah para a verdade e finalmente destinada ao Paraíso por dar de beber a um cão que estava com sede, enquanto outra mulher foi condenada ao Inferno por deixar que uma gata morresse de fome.

 

• O Profeta Muhammad era extremamente meigo e nunca considerou qualquer coisa pessoalmente. Quando as pessoas caluniaram a sua esposa Aisha, ele não as puniu depois que ela foi inocentada. Os beduínos vinham à sua presença e agiam grosseiramente. Ele nunca mesmo os desaprovou.

 

• Ele foi a pessoa mais generosa, e gostava de distribuir tudo que tinha. Depois de ser comissionado na profecia, ele e a sua rica esposa Khadija gastaram tudo que possuíam pela causa de Allah. Quando Khadija morreu, eles estavam tão pobres que ele teve de pedir dinheiro emprestado para comprar uma mortalha para enterrar a primeira pessoa que abraçou o Islam e se sua primeira defensora.

 

• De acordo com o Profeta, esse mundo é como uma árvore sob cuja sombra as pessoas descansam de uma longa jornada. Ninguém vive para sempre, assim as pessoas devem se preparar para a segunda parte da jornada: O Paraíso ou o Inferno. A sua missão era para guiar as pessoas para a verdade por todos os meios permitidos, que ele fez. Uma vez Omar o viu deitado numa esteira áspera e molhada. Disse-lhe:

 

“Ó Mensageiro de Allah (sallallahu alaihi wa sallam), enquanto reis dormem sobre camas macias, você está deitado numa esteira áspera. Você é o Mensageiro de Allah e, portanto, merece uma vida fácil mais do que qualquer outra pessoa.” O Mensageiro (sallallahu alaihi wa sallam) respondeu: “Você não concorda que aquele luxo deste mundo seja deles e do Outro Mundo seja o nosso?”

 

O Islam não aprova a vida monástica. Ele veio para assegurar a justiça e o bem-estar da humanidade, e advertiu as pessoas contra o excesso. Por essa razão, muitos muçulmanos escolhem uma vida ascética. Apesar dos muçulmanos terem se tornado ricos depois da morte do Mensageiro, os Califas Abu Bakr, Omar e Ali preferiram a austeridade parte por ser de sua própria inclinação e parte para seguirem estritamente o exemplo do Profeta (sallallahu alaihi wa sallam). Muitos outros muçulmanos fizeram essa mesma escolha.

 

• O Profeta Muhammad (sallallahu alaihi wa sallam) era a pessoa mais modesta. Ao atingir os mais altos níveis, ele aumentou a sua humildade e servidão a Allah. Ele preferiu ser um Profeta servo do que um Profeta rei. Enquanto estava construindo a Mesquita em Madina, ele carregava dois tijolos enquanto os outros carregavam um só. Quando estavam cavando a trincheira, os Companheiros amarravam uma pedra sobre o estômago por causa da fome; o Mensageiro (sallallahu alaihi wa sallam) amarrou duas pedras. Quando um homem começou a tremer devido à sua imponente aparência, o Mensageiro acalmou-o, dizendo: “Não tenha medo, irmão. Sou um homem como você, cuja mãe comia pão seco.” Uma mulher com desequilíbrio mental pegou-o, uma vez, pela mão e lhe disse: “Venha comigo e faça o meu trabalho de casa.” O Mensageiro de Allah (sallallahu alaihi wa sallam) fez o que ela pediu. Aisha relatou que o Mensageiro remendava suas roupas, consertava seus calçados, e ajudava as esposas nas tarefas de casa.

Ali descreveu o Profeta (sallallahu alaihi wa sallam) como segue:

 

O Mensageiro de Allah (sallallahu alaihi wa sallam) era a pessoa mais generosa em desprendimento, a mais meiga e a primeira em paciência e perseverança. Foi a mais confiável das pessoas na fala, a mais amável e a mais agradável em companhia e a mais nobre na família. Quem o via pela primeira vez, era atingido pela sua imponência, mas quem o conhecia mais intimamente era atraído por ele profundamente. Quem tentasse descrevê-lo dizia: “Nunca, antes ou depois, vi alguém como ele. Que a paz e a graça de Allah estejam com ele.”

 

Quem além do Mensageiro de Allah (sallallahu alaihi wa sallam), ao exercer a missão divina de profecia, levou uma vida tão austera como o Profeta Muhammad? O que ele seria além de Profeta? Que argumento substancial se pode colocar contra a sua profecia?

 

1 Por exemplo, a maior parte dos ídolos da Caaba citadas acima; o palácio do Imperador Sassânida balançou e se rachou, e seus quatorze pilares entraram em colapso; o pequeno lago persa de Sawa secou; e o fogo adorado pelos magos de Istakhrabad extinguiu-se (ele ardeu continuamente por 1000 anos).