SURA 79
AN-NAZI’AT
(OS ARREBATADORES)
Período de Meca

Revelada em Meca, esta Sura de 46 versículos leva o seu nome da palavra An Názi’at- (Os Arrebatadores - aqueles anjos que voam para fora) no primeiro versículo. Ela nos lembra da morte, adverte contra aqueles que negam a vida após a morte, e chama atenção para o Faraó, cujo poder não foi suficiente para salvá-lo do castigo de Deus. Também menciona alguns atos de Deus no universo e estabelece a verdade da vida após a morte.

 

                                                    Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

 

1. Por aqueles (anjos) que imediatamente voam e mergulham (com a ordem de Deus), e mergulham (em cumpri la);

 

2. Por aqueles (anjos) que se movem delicadamente e ansiosamente (por causa do comando que receberam);

 

3. Por aqueles (anjos) que rapidamente correm (através do espaço para cumprir a ordem de Deus);

 

4. E assim se apressam junto como se estivessem em uma corrida;

 

5. E, assim, cumprem os comandos (no funcionamento do universo) -

 

6. (A Última Hora terá chegado) no Dia em que o soar (da Trombeta) irá convulsionar (o mundo),

 

7. Seguido pelo soar seguinte.

 

8. Os corações nesse dia pulsarão agitados;

 

9. Seus olhos baixos.

 

10. No entanto, eles (os incrédulos) dizem: “Será que realmente seremos restaurados ao nosso estado anterior (de vida)?

 

11. “Quando nos tornamos ossos podres e fragmentados?”

 

12. Eles dizem (com escárnio): “Então, isso seria um retorno perdido!”

 

13. Na verdade será um único grito,

 

14. E então, todos estarão despertados para a vida na planície (de Congregação Suprema).

 

15. Chegou-te o relato de Moisés?

 

16. Quando o Seu Senhor o chamou no vale sagrado de Tuwa:

 

17. “Vai ao Faraó, pois ele se rebelou extremamente.

 

18. “E dize-lhe: Desejas (tem a intenção ou a inclinação) de alcançar a pureza?

 

19. E eu te guie ao teu Senhor, para que permaneças no temor a Deus (e se comportar com humildade).’”

 

20. Ele (foi para o Faraó e) lhe mostrou o grande sinal (o milagre do cajado).

 

21. Mas o Faraó negou (sua Mensagem) e o desafiou.

 

22. Depois disso, virou-se e saiu para lutar (com ele).

 

23. Então, reuniu (seus homens e hostes), e fez uma proclamação,

 

24. Dizendo: “Eu sou o vosso Senhor Supremo!”

 

25. E assim Deus o agarrou e fez dele um exemplo, da punição para a (vida) posterior e para a presente.

 

26. Com certeza, nisto há uma lição para quem tem pavor e se humilha, perante Deus.

 

Para os detalhes sobre a história de Moisés,

 

Ver Sura 20: 9-79; Sura 28: 3-42.

 

27. (Ó humanidade!) Sois mais difíceis de criar ou é o céu que Ele construiu?

 

Nada é difícil para Deus. Para colocá-la mais apropriada, a dificuldade não é um atributo que pode ser concebido por Deus, por tudo o que é absolutamente fácil para Ele no mesmo grau. Assim, a comparação no versículo é a partir da perspectiva da humanidade, perguntando o que é mais difícil para nós a conceber, e não para Deus fazer.

 

28. Ele levantou seu teto e o ordenou.

 

29. E Ele ocultou a noite e trouxe a luz ao dia.

 

No início, o céu estava na escuridão, ou não havia nenhum objeto emissor de luz nele. Então, depois de formar o céu, Deus colocou objetos emissores de luz nele, como o sol e as outras estrelas, e removeu sua escuridão. Este versículo também significa que Ele tem feito alguns objetos celestes, incluindo a Terra, que têm ambos, escuridão (noite) e luz (dia), alternadamente.

 

30. E depois Ele estendeu a terra na forma de ovo (para ser habitada).

 

Com certeza no tempo em que o Alcorão foi revelado, as pessoas tinham nenhuma ideia de que a terra era elíptica nem era um fato conhecido até tempo recente.

 

 

31. E dela fez brotar as águas e os pastos;

 

32. E fixou firmemente as montanhas -

 

33. (Tudo isso) como um meio de vida para vós e vossos animais.

 

34. Mas quando o grande evento esmagador chegar -

 

35. Nesse dia, o ser humano vai se lembrar (e entender) para que ele se esforçou;

 

36. E a chama ardente vai ser exposta para todos que quiserem ver.

 

37. E assim, quem se rebelou (contra Deus),

 

38. E preferiu a vida deste mundo,

 

39. A Chama Ardente vai ser o seu refúgio (final).

 

40. Mas, quem tiver temido ao seu Senhor, estando sempre consciente de que Ele o vê e comparecimento perante Ele (na Outra Vida), e mantido a sua alma carnal da luxúria e fantasias,

 

41. Certamente, o Paraíso será seu refúgio (final).

 

42. Perguntam-te (ó Mensageiro) sobre a Última Hora: “Quando será a sua ancoragem?”

 

43. Mas como poderias ter conhecimento sobre o seu tempo exato?

 

44. Unicamente com o teu Senhor repousa (o conhecimento exato) de seu termo.

45. Tu és apenas um admoestador para aqueles que a receiam.

 

46. No dia em que a virem será como se tivessem permanecido (no mundo), mas para a tarde (de um dia) ou a sua manhã.

Fonte: O ALCORÃO Com Interpretação Anotada por Ali Ünal, Tughra Books, 2015