SURA 81
AT-TAQUIR
(O ENROLAMENTO)
Período de Meca

Revelada em Meca, nos primeiros anos de Islam, esta Sura de 29 versículos tem o seu nome do verbo kúwwirat (enrolado) no primeiro versículo. Ela chama a atenção para a Outra Vida, ao mencionar certos acontecimentos que ocorrerão durante a destruição final do mundo e da reconstrução do mesmo. Também estabelece a origem Divina e a autenticidade do Alcorão e da Mensagem de Mensageiro de Deus (que Deus o abençoe e lhe dê paz).

 

                                                    Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

 

1. Quando o sol for enrolado (e tornar-se escuro);

 

Além da brilhante metáfora contida em dobrada (ou “enrolada” ou “enrolado”), o versículo faz alusão a vários eventos relacionados, como relatado por Said Nursi:

 

Primeiro, pelo esboço da não existência, do éter, e dos céus, respectivamente, como véus, que Deus Todo-Poderoso trouxe uma lâmpada brilhante (o sol) do tesouro da Sua Misericórdia para iluminar e ser exibido para o mundo. Depois que o mundo for destruído, Ele novamente o envolverá em seus véus e o removerá. Em segundo lugar, o sol é um funcionário de Deus encarregado de espalhar a luz e dar calor, e de enrolar a luz e as trevas alternadamente em volta da cabeça do mundo, como um turbante. Todas as noites ele recolhe e esconde sua luz. Às vezes, ele faz pouco trabalho porque a nuvem o encobre, às vezes se retira do trabalho porque a Lua espalha um véu sobre a sua face e fecha seu livro de contas por um curto e fixo tempo. Em algum momento no futuro, este funcionário vai demitir-se do seu posto. Mesmo que não há motivo para a sua demissão, devido aos dois pontos negros que crescem em sua face, como começaram a fazer, o sol vai obedecer a ordem Divina para chamar de volta a luz que ele envia para a terra e envolvê-lo em torno de sua própria cabeça. Deus também ordenará: “Você já não tem qualquer dever para com a terra. Agora, vá para o inferno e queima aqueles que, por adorá-lo você, terem insultado um funcionário obediente com deslealdade, como se você tivesse alegado divindade “Através de sua face manchada de negro, o sol exibe o significado de: Quando o sol for enrolado. (As Palavras, “A Vigésima Quinta Palavra”, 445)

 

2. E quando as estrelas se tombarem (perdendo seu brilho);

 

3. E quando as montanhas forem movidas;

 

4. E quando (as muito valorizadas) fêmeas de camelos prenhes forem abandonadas;

 

5. E quando os animais selvagens (como também os domesticados) saírem de seus

lugares de descanso (no terror da destruição do mundo, e em seguida, após a sua revitalização, forem reunidos diante de Deus, para a liquidação de suas contas);

 

Embora os animais não sejam responsáveis por quaisquer mandamentos religiosos, eles são responsáveis e governados pela lei de Deus sobre o funcionamento do mundo (ach-chari’at at-takwíni). Então, eles vão ser chamados a prestar contas por ter ou não observado esta lei em relação a si mesmos. Além disso, os seres humanos serão questionados sobre seu tratamento aos animais.

 

6. E quando os mares forem abrasados;

 

7. E quando as almas forem acopladas (os homens justos com os puros, justos, os maus cônjuges com seus maus cônjuges e com os companheiros diabólicas);

 

Ver Sura 4: 57; Sura 37: 22; Sura 43: 36; Sura 44: 54.

 

8. E quando a menina (infantil), enterrada viva, é questionada,

 

9. Por qual crime ela foi morta?

 

Muitos árabes pagãos enterravam vivas suas filhas durante a era pré-islâmica da Ignorância (16: 58-59). As mulheres eram desprezadas, não só na Arábia pré-islâmica, mas em quase todo o mundo, inclusive em terras romanas e sassânidas. O Alcorão declara abertamente que as pessoas vão ser questionadas a respeito disso.

Após o Mensageiro de Deus (que Deus o abençoe e lhe dê paz) havia declarado sua Missão Profética, um companheiro lhe disse o que tinha feito com sua filha: Ó Mensageiro de Deus, eu tinha uma filha. Um dia eu disse a mãe dela para vesti-la, pois eu a estava levando para seu tio. Minha pobre esposa sabia o que isso significava, mas não podia fazer nada além de obedecer e chorar. Vestiu a menina,

que estava muito feliz que estava indo para ver o tio. Levei-a perto de um poço, e disse-lhe para olhar para baixo. Enquanto ela estava olhando para o fundo, eu chutei. Enquanto ela estava rolando, ela gritava:

 

“Papai, papai”.

Enquanto ele estava contando isso, o Mensageiro (que Deus o abençoe e lhe dê paz) chorava soluçando (como se tivesse perdido um de seus mais próximos parentes) (Sunan Ad Dárimi, “Muqaddima”, 7-8).

 

Os corações se tornaram duros. Os poços eram escavados no deserto para que as meninas inocentes fossem enterradas neles. Os seres humanos eram mais brutos e cruéis do que hienas. O poderoso esmagava o fraco. A brutalidade foi levada para a humanidade, a crueldade recebeu a aprovação, os sanguinários foram exaltados, o derramamento de sangue era considerado uma virtude, e o adultério e a fornicação eram mais comuns do que o casamento legal. Em suma, a infraestrutura da família foi destruída. Este período negro foi seguido pelo Islam, quando então e todos esses males foram erradicados. As pessoas que haviam sido extremamente cruéis foram transformadas em pessoas compassivas que indagavam sobre a pena a ser paga por pisotearem gafanhotos acidentalmente. (Para mais detalhes, consulte “O Mensageiro de Deus”). O Islam também proibiu o aborto, particularmente após a sétima semana de gravidez a não ser que haja razões médicas. Este versículo também inclui isso.

 

 

10. E quando os pergaminhos (das obras de cada pessoa) forem abertos;

 

Este versículo implica que no momento da Ressurreição, as ações de todos serão reveladas em páginas escritas. À primeira vista, isso parece muito estranho e incompreensível. Mas, como indicado por esta Sura, assim como a renovação da primavera corresponde a outra ressurreição, a “abertura dos pergaminhos” tem uma correspondência muito clara. Cada árvore frutífera e planta florida tem suas propriedades, funções e ações. Ela executa o seu culto particular a si. Todos os seus atos e os registros de sua vida estão inscritos em cada semente que vai surgir na primavera seguinte, em outro plano do solo. Na linguagem do molde e da forma, as árvores ou plantas com flores crescem a partir de sementes que foram enterradas no outono anterior, eloquentemente indicando a árvore original ou a vida de planta com flores e atos, e espalham as páginas de suas ações através de seus ramos, galhos, folhas, flores e frutos. Aquele que diz: Quando os pergaminhos forem abertos é o mesmo Ser Que, diante de nossos olhos, consegue esses feitos de uma forma muito sábia, prudente, eficiente e sutil. Tal forma é ditada por Seus Nomes de Onisciente e Preservador, Sustentador e Formador, e Sutil.

 

 

11. E quando o céu for rasgado (com todas as verdades se tornam manifestas),

 

6 Ver Sura 25: 25; Sura 39: 67; Sura 40: 16; Sura 69: 18.

 

12. E quando a chama ardente for atiçada (para calor intenso);

 

13. E quando o jardim for aproximado (para quem reverencia a Deus, o piedoso entrar);

14. Cada pessoa (então) virá a saber o que ela tem preparado (para ela mesma).

 

15. Oh, eu juro pelas estrelas que recuam (desaparecendo na luz do sol),

 

16. Que aparecem seu curso, e em seguida, se põem (a desaparecem novamente);

 

17. E pela noite, quando se inclina para partir,

 

18. E pela manhã, quando respira -

 

19. Que esta (que informa sobre todos os eventos mencionados) é a Palavra (trazida)por um mensageiro de honra (Gabriel),

 

20. Dotado de poder, com alta classificação e estima diante do Senhor do Trono Supremo,

 

21. Obedecido (por seus assessores) e de confiança (no cumprimento de ordens de Deus, particularmente transmitir a Revelação).

 

22. E seu companheiro (o Mensageiro, que passou sua vida entre vós), não é um possesso;

 

23. Na verdade, ele o viu (Gabriel) no claro horizonte.

 

24. Ele não é avaro (em transmitir a vós a Revelação e o conhecimento) do Invisível (o que está além do alcance de vossa percepção sensorial).

 

25. Nem é (este Alcorão) a palavra de qualquer diabo excluído da misericórdia de Deus.

 

26. Então, onde ides?

 

27. Não é mais que um lembrete (e instrução) para todos os seres conscientes,

 

28. Para qualquer um de vós que quer tomar o caminho reto (e segui-lo sem desvio).

 

29. Mas não vos desejareis (para isso), a menos que Deus o deseje - o Senhor dos mundos.

Fonte: O ALCORÃO Com Interpretação Anotada por Ali Ünal, Tughra Books, 2015