SURA 89
“AL-FAJR” (A ALVORADA)
Período de Meca

Esta Sura, revelada em Meca, tem 30 versículos. Ela leva o seu nome da palavra al-Fajr (A Alvorada) no primeiro versículo. Ela chama a atenção para o fim doloroso que se abateu sobre alguns povos antigos que negavam os Mensageiros de Deus e da Mensagem que eles trouxeram. Ela também explica algumas características básicas da natureza humana e a sabedoria de Deus testando seus servos. Ela termina lembrando-nos que tipo de vida eterna aguarda os crentes e descrentes.

Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

 

1. Pela alvorada,

2. E pelas dez noites,

Por dez noites, o versículo está se referindo às últimos dez noites do mês sagrado de Ramadan, ou os primeiros dez noites de Zu’l-Hijja, o mês da Peregrinação, ou ambos. Em cada uma destas dez noites, o tempo durante o qual Deus é adorado tem uma importância e recompensa especial, e este período é seguido pela comemoração religiosa. Assim, o amanhecer no primeiro versículo, além de se referir ao amanhecer de cada dia novo, pode ser o que implica na madrugada particular destas comemorações. Além desses significados, as dez noites e a madrugada também implica que não importa quanto tempo eles podem ser, os períodos obscuros da vida de um indivíduo ou na vida de uma sociedade geralmente acabam em um dia, novo e feliz. Os versículos aludem também ao fato de que, como apontado em Surat al-Muzzammil (73: 2-6), as devoções à noite têm uma eficácia especial no esforço espiritual humano, e dão origem a um despertar espiritual (madrugada).

3. E pelo par e pelo ímpar,

Além de outros significados possíveis, como os meses do calendário lunar (muçulmano), que terminará em um número par ou ímpar, e o fato de que o último terço do mês sagrado de Ramadan, por vezes, é composto por dez dias e às vezes por nove dias, esta expressão implica também que sobre toda a criação envolta pela noite, desponta o dia.

4. E pela noite quando se retira (para um fim) –

A noite tem suas próprias características e segue seu próprio curso. Mas, por mais longa que seja, ela certamente vai chegar a um fim, e o sol vai subir e espalhar a sua luz, como Deus quer. Então, quando a luz de Deus (de completa submissão a Deus no Islam) começa a se mostrar sobre o horizonte da humanidade, isso significa que o fim da noite está próximo para as pessoas e as comunidades.

5. Não haverá nisso um juramento solene para aquele dotado de intelecto (para refletir e possa orientá-lo para a verdade e mantê-lo longe dos males)?

6. Não reparaste como o teu Senhor lidou com a (tribo de) ‘Ad,

7. (O povo de) Iram com muitas colunas (ou seja, monumentais) edifícios,

8. Igual a qual nada foi criado na terra?

9. E com (a tribo de) Samud, que escavou as rochas no vale (para fazer habitações)?

10. E com o Faraó, que tinha fortalezas formidáveis?

11. (Todos), estes se rebelaram (e transgrediram) nas terras (onde eles viviam);

12. E multiplicaram nelas a desordem e a corrupção.

13. Portanto, o teu Senhor infligiu lhes um flagelo da punição (que vieram de diferentes formas).

14. Teu Senhor está sempre alerta (sobre o ser humano e testa-o com as bênçãos com que Ele o favorece).

15. E assim, o ser humano, quando seu Senhor lhe concede favores, agraciando-o e o honrando, diz: “Meu Senhor me honrou.”

16. Mas sempre que o prova, restringindo-lhe os meios de subsistência, então ele diz: “Meu Senhor me humilhou.”

 

Ou seja, no primeiro caso (versículo 15), considera-se digno dos favores que Deus concede a ele, e não considera que é tentado para ver se será grato. Neste último caso (versículo 16), ele atribui a Deus injustiça, e não considera que ele está sendo julgado pela paciência, em preparação para a recompensa a ser dada em troca.

17. Não, de fato! Vós (ó povo) não tratais o órfão com bondade e generosidade;

18. E não exortais a alimentar os necessitados;

Ser rico ou pobre não é e não deve ser considerado como uma causa de honra ou vergonha. A concessão das bênçãos de Deus abundantes ou escassos é um meio de testes nos seres humanos. Em qualquer caso, o que uma pessoa deve fazer é admitir que tudo o que ela tem é de Deus, como uma recompensa e, portanto, agradecer-Lhe; e especialmente em situações de pobreza, eles devem mostrar paciência, sem reclamar. Honra ou virtude depende do agradecimento ao Senhor Munificente, e da ajuda aos necessitados.

19. E consumis as heranças (sua ou de outros) com ganância (sem distinção do legal e ilegal);

20. E amais a riqueza com ardor sem limites e para entesouramento.

21. Não, de fato! Quando a terra for triturada com golpes após golpes;

22. E chegar o vosso Senhor (revelando Seu Poder e Majestade), e os anjos em fileiras;

23. E o inferno, nesse dia, for trazido (para a frente); nesse dia o ser humano virá a entender (o que significa ser favorecido com generosidades, e como ele deveria ter respondido), mas como esse entendimento (então) haverá de beneficiá-lo?

24. Ele vai dizer: “Quem dera tivesse antecipado (algumas boas ações) para a minha vida (futura)!”

25. Porém, nesse dia, ninguém irá punir como Ele punirá;

26. E ninguém acorrentará, como ele vai acorrentar.

27. (Mas, para o justo Deus irá dizer:) “Ó alma tranquila (contente com as verdades da fé e os mandamentos de Deus, e com Seu tratamento às Suas criaturas)!

28. “Retorna ao teu Senhor, satisfeita (com Ele e Seu tratamento a ti), e Ele satisfeito contigo.

29. “Entra, então, entre Meus servos (totalmente satisfeita com a serventia a Mim)!

30. “E entra no Meu Paraíso!”
 

O ALCORÃO Com Interpretação Anotada por Ali Ünal, Tughra Books