SURA 84
AL-INXICAC (A FENDA)
Período de Meca

Revelada em Meca, esta Sura de 25 versículos adverte as pessoas sobre o poder supremo de Deus e enfatiza o
ponto que é extremamente fácil para Ele ressuscitá-los. Deriva seu nome da forma infinitiva (inchicac) do verbo, inchacca (Fender) no primeiro versículo.

                                                       Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

1. Quando o céu se fender e dividir em pedaços,

2. E obedecer a seu Senhor, como é esperado de fato, e o fizer devidamente;

3. E quando a terra for estendida,

4. E lançar para afrente o que está nele e se tornar vazia,

5. E obedecer a seu Senhor, como é esperado de fato, e o fizer devidamente;

6. Ó humano! Estás sempre labutando para compareceres ante o teu Senhor, enfim tu O encontrarás (antes de Seu julgamento).

7. Então, quanto àquele que for entregue o seu registro na mão direita,

8. Certamente ele vai ser julgado com facilidade,

9. E vai voltar com alegria para a sua família (preparada para ele no Paraíso).

Se as boas obras dos crentes superam os seus maus atos, estes serão perdoados e eles receberão um acerto de contas fácil. Se alguém é chamado para prestar conta de pecados graves, como declarou uma tradição profética,
significará o seu castigo (Al-Bukhári, “’Ilm”, 35; Musslim “Janna”, 80).

10. Mas, quanto àquele que for entregue o registro (na mão esquerda) por trás das costas,

11. Ele certamente irá suplicar por extinção,

12. E entrará na Chama Ardente para ficar assado.

13. Pois, de fato, ele era alegre e presunçoso na sua casa (na sua vida terrena).

O contraste entre o estado de um crente e um descrente é altamente significativo. Um incrédulo condenado à punição eterna é aquele que é orgulhoso e alegre na sua casa no mundo. Ele se alegra com seus bens mundanos,
dos quais ele se orgulha, e é indiferente ao seu Criador e Seus mandamentos. Quando ele vê a punição no outro, ele vai suplicar por destruição eterna. No entanto, o crente que está a ser recompensado com a felicidade eterna no outro mundo é aquele que, como afirma-se na Sura 52: 26, é muito cuidadoso e alerta entre sua família por
si próprio e sua orientação e vida eterna. Assim, ele vai se alegrar no Outro na recompensa que lhe foi dada.

 

14. Ele pensou que ele nunca iria voltar (a Deus para o julgamento).

15. Não, de fato! Em vez disso, o seu Senhor o via.

16. Então, juro pelo brilho do pôr do sol,

17. E pela noite, e por tudo o que ela encobre (em graus);

18. E pela lua, à medida que fica cheia-

19. Certamente, ireis passar de um estado a outro (congruente com ele)

Este versículo, que no original árabe consiste em apenas três palavras, tem uma gama muito ampla de significados. Como as coisas pelas quais Deus jura (pelo arrebol do pôr do sol, pela noite, que encobre por graus, e pela lua cheia) denotam uma transição de um estado para outro, este versículo expressa os estados e estágios que cada indivíduo, comunidade, e toda a humanidade percorrem. Isto é assim, tanto no neste mundo como no próximo. O mundo está em tal movimento contínuo e mudança. Quando o Islam começa a ser transmitido em uma comunidade nos passos do Mensageiro de Deus (que Deus o abençoe e lhe dê paz) os crentes começam a subir em direção a estágios mais elevados, maiores e melhores estados, apesar de poderem ter sofrido alguns contratempos, e do movimento de seus oponentes se torna descendente. Este versículo implica tanto. As fases e estados percorridos são cada resultados da primeira, e uma causa desta última, para que haja congruência entre eles. Este mesmo movimento para cima ou para baixo, é também verdadeiro para os indivíduos. Há pontos em comum ou relação entre os estados e estágios através do qual um indivíduo se move.

20. Então, qual é o problema com eles que não acreditam?

21. E quando o Alcorão é recitado a eles, não se prostram em submissão (à sua Mensagem)?

22. Ao contrário, aqueles que não creem negam (a ele e à sua Mensagem).

23. E Deus tem pleno conhecimento do que eles abrigam (em seus corações).

Isto é, a sua negação do Alcorão e sua mensagem não é porque existe uma falha no Alcorão ou que a sua mensagem não tem provas suficientes para afirmar. Em vez disso, eles persistem na incredulidade por causa de suas más intenções e ambições mundanas, ou alguns outros motivos egoístas, portanto, negar o Alcorão e sua Mensagem.

24. Então, anuncia-lhes um doloroso castigo.

25. Exceto àqueles que creem e fazem boas obras: para eles há uma recompensa constante e além da medida.
 

Fonte: O ALCORÃO Com Interpretação Anotada por Ali Ünal, Tughra Books, 2015