SURA 80
ÁBAÇA
(FRANZIU O ROSTO)
Período de Meca

Revelada em Meca, nos primeiros anos do Islam, Esta Sura de 42 versículos leva seu nome do verbo, “Abaça” (franziu o rosto) no primeiro versículo. Ela salienta que todos, independentemente da sua origem familiar ou seu status social, é igual no que diz respeito à comunicação da Mensagem de Deus. Ela convida as pessoas a refletir sobre algumas obras do poder de Deus e adverte contra o Dia da Ressurreição. 

 

                                                    Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

 

1. Ele (um homem incrédulo hipócrita, altivo) franziu a testa e virou-se,

2. Porque (enquanto um grupo de incrédulos líderes, incluindo ele, estava conversando com o Mensageiro) o cego se aproximou dele.

3. O que te informa (ó altivo), que ele não poderia crescer em pureza (através do aprofundamento na fé e na prática de boas ações)?

4. Ou que possa tomar consciência (da Mensagem de Deus), e a lição possa beneficiá-lo?

5. Quanto a ele que se julga independente (não necessitando de orientação Divina por causa do orgulho em sua riqueza e status),

6. Tu o atendes (como se quisesses sua conversão).

7. Será que realmente te importa que ele não (aceite a fé e) cresça em pureza (através de cumprimento de suas obrigações e responsabilidades)?

8. Mas, quanto àquele que se aproxima de ti ansiosamente,

9. E é temente a Deus, 

10. Tu desvias tua atenção dele.

Particularmente no início do período de transmitir o Islam, o Mensageiro de Deus (que Deus o abençoe e lhe dê paz) pensou que se os líderes da Coraix aceitassem o Islam, as outras pessoas entrariam com mais facilidade. Assim, sem nunca negligenciar os outros, ele pregou o Islam para os líderes com grande entusiasmo. Um dia, quando ele estava ocupado com um desses líderes, ‘Abdullah Ibn Umm Maktum, um muçulmano cego (que Deus esteja satisfeito com ele) chegou perto do grupo dos líderes incrédulos, a fim de ouvir o Mensageiro e beneficiar-se dele. No entanto, um hipócrita entre os incrédulos sentiu grande desconforto e franziu a testa com desdém pela chegada daquele muçulmano cego, enquanto conversava avidamente com os outros incrédulos, como se tivesse desejado sua conversão. Os versículos foram revelados nesta ocasião.

11. Não, de fato! Certamente é um lembrete e uma admoestação (suficiente para todos os que vêm a ele com um coração aberto). 

12. Então, quem quiser que receba a advertência e preste atenção.

13. (Está registrado) em pergaminhos muito honrados,

14. Exaltados (aos olhos de Deus) e perfeitamente purificados (da mentira, vaidade e inconsistência)

 

15. (Mantidas) pelas mãos de anjos-enviados,

16. Nobres e virtuosos.


Como dito em alguns versículos como outros Arcanjos, como Azrá’il (o Anjo da Morte), Gabriel também tem assessores. Assim, os pergaminhos referidos nos versículos 13-14 são as páginas celestes em que as Revelações
do Alcorão são gravadas, e os enviados são os assessores de Gabriel que o acompanhavam enquanto os levava para o Mensageiro (que Deus o abençoe e lhe dê paz).

 

17. O ser humano está arruinado – quão ingrato e descrente que ele é!

18. (Será que ele nunca considera) de que coisa que Ele o criou?

19. A partir de uma gota de fluido (seminal), Ele o criou e moldou em devidas proporções (por sua forma e por sua vida).

20. Depois disso, (Deus) lhe fez o caminho fácil,

21. Depois disso, ele fez com que morra e seja enterrado.

22. Depois disso, quando Ele quiser, o ressuscitará à vida.

23. Não, de fato! O ser humano não tem cumprido o que Deus lhe ordenou.

24. Então, que o ser humano considere o seu alimento (e assim refletir sobre a Misericórdia de seu Senhor e sobre a verdade da Ressurreição),

25. Nós que derramamos a água em abundância;

26. Então abrimos a terra em fendas;

27. E, assim, permitimos que o grão brote nela,

28. E videiras e plantas comestíveis,

29. E oliveiras e tamareiras,

30. E jardins densos com folhagem,

31. E (outras) diversas frutas e forragem,

32. Como um meio de sustento para vós e o vosso gado (animais).

33. Mas, quando o toque ensurdecedor (anunciando a Ressurreição) soar;

34. Nesse dia, a pessoa fugirá de seu irmão,

35. Da sua mãe e do seu pai,

36. Da esposa e dos filhos -

37. Todo mundo nesse dia tem preocupações consigo mesmo suficientes para torná-lo indiferente (a qualquer outra coisa).

38. Alguns rostos nesse dia estarão radiantes de felicidade -

39. Sorrindo, regozijando-se com boas novas.

40. E alguns rostos nesse dia estarão cobertos de pó,

41. Velados na escuridão –

42. Esses serão os incrédulos sem vergonha, e dissolutos.
 

Fonte: O ALCORÃO Com Interpretação Anotada por Ali Ünal, Tughra Books, 2015