Home > Al-Corão Sagrado> O que é Alcorão?

 

O QUE É O ALCORÃO?

 

Segundo a maioria dos estudiosos, a palavra Qurán é uma forma infinitiva do Qa-Ra-A significado ler ou recitar. Por isso, significa, literalmente, uma coisa recitada adicionando letras e palavras umas às outras.

 

O verbo Qa-Ra-A tem outra forma infinitiva qa-r’u que significa coletar. Assim, alguns são da opinião de que Qurán significa “aquilo que coleta.” É narrado por ‘Abdullah Ibn’ Abbás que a palavra Qurán no versículo: “Certamente, a Nós incumbe a sua coleta (em seu coração) e permitamos que o recite (de cor)” (Alcorão Sagrado 75:17), significa ser coletado e estabelecido no coração. Por este motivo, alguns afirmam que, uma vez que o Alcorão coleta e contém em si o “fruto” das Escrituras anteriores

e todo o conhecimento, isto é chamado de Alcorão.

 

Alguns outros estudiosos afirmam que a palavra qurán não foi derivada de qualquer palavra. É o nome próprio dado ao Livro que Deus, que Sua Majestade seja exaltada enviado para Seu último Mensageiro (que Deus o abençoe e lhe dê paz). O Imam Chāfi’i defendeu esta opinião (Abu’l-Bacá, 287; Raghib al-Isfahani, 402; as-Salih [traduzido], 15-18).

 

O Alcorão é a Palavra de Deus e, portanto, eterna, e não foi criada. Mas como livro encaminhado para o Profeta pelo Arcanjo Gabriel e composto por letras e palavras, recitadas, tocadas e ouvidas, não é eterno). A definição geral do Alcorão é a seguinte: O Alcorão é a palavra milagrosa de Deus que foi revelada ao Profeta (que Deus o abençoe e lhe dê paz), escrito em folhas, e transmitido às gerações sucessivas por numerosos canais de confiança, e cujo recitação é um ato de adoração e nas orações diárias obrigatórias.

 

O Alcorão descreve algumas das suas características como segue:

 

“O mês do Ramadan (é o mês) em que foi revelado o Alcorão como orientação para as pessoas, e como verdades claras da orientação e Critério (entre a verdade e a falsidade)”. (2: 185)

 

“E este Alcorão não é tal que poderia ser fabricado por um em atribuição a Deus, mas é um (Livro Divino) confirmando (a origem divina das verdades que ainda estão contidas nele) as Revelações antes dele, e uma explanação da essência de todos os Livros Divinos - onde não há nenhuma dúvida, do Senhor dos mundos.” (10: 37)

 

“Nós o enviamos como um Alcorão (discurso) em árabe para que possais refletir (seus significados e termos) e raciocineis”. (12: 2)

 

“Este Alcorão, certamente, guia (em todos os assuntos) para o que é mais justo e certo anuncia aos crentes que fazem boas obras de justiça, as boas novas de que para eles existe uma grande recompensa.” (17: 9)

 

“E, de fato (por revelá-lo através da linguagem humana), fizemos o Alcorão fácil para a recordação (de Deus e para prestar atenção), então há alguém que se lembra e presta atenção?” (54: 17)

 

“Certamente este é um Alcorão mais honrado, em um Livro bem guardado.” (56: 77-78).

 

O Alcorão tem outros títulos, cada um dos quais o descreve com um de seus aspectos e, portanto, pode ser considerado como um dos seus atributos. Alguns deles são: o Livro, a Critério, a Recordação, o Conselho, a Luz, a Orientação, o Curador, o Nobre, a Mãe do Livro, a Verdade, a Admoestação, a Boa Nova, o Livro Revelado Gradualmente, o Conhecimento, e o Esclarecimento

 

O Alcorão tem como objetivo orientar todas as pessoas para a verdade e tem quatro objetivos principais: demonstrar a Existência e a Unidade de Deus; estabelecer a Missão Profética, provar e elucidar a vida após a morte, com todos os seus aspectos e dimensões, e promulgar a adoração a Deus e as essências da justiça. Os versículos do Alcorão tratam principalmente desses propósitos. Há, com base nesses objetivos principais, os princípios do credo, as regras que regem a vida humana, informações detalhadas sobre a Ressurreição e a vida após a morte, prescritos para a adoração a Deus, padrões morais, informações diretas ou indiretas em alguns fatos científicos, princípios de formação e decadência das civilizações, contornos das histórias de muitos povos anteriores, e assim por diante. O Alcorão é também uma fonte de cura; a sua aplicação na vida fornece uma cura para quase todas as doenças psicológicas e sociais. É também uma cosmologia, ontologia, epistemologia, sociologia, psicologia e direito. Foi revelado para regular a vida humana no mundo. Não está limitado a qualquer

tempo, lugar ou pessoas. É para todos os tempos e para todos os povos. O Profeta Muhammad, (que Deus o abençoe e lhe dê paz), declarou: O Alcorão é mais louvável para Deus de que os céus e a terra, e o que há entre eles. A superioridade do Alcorão sobre todas as outras palavras e discursos, é como a superioridade de Deus sobre as Suas criaturas”. (At-Tirmizi, “FaḍāilAlcorán”, 25)

 

O Alcorão é um decreto definitivo que distingue entre a verdade e a mentira. Não é para passatempo. Quem o rejeita por despotismo, Deus humilha a ele ou a ela. Ele contém a história dos povos anteriores, a correnteza dos que virão depois de vocês, e o julgamento sobre as divergências entre vocês. Quem busca orientação, em algo diferente dele, Deus o extravia. É o vínculo forte de Deus. É a sábia instrução. É o caminho reto. É um livro cujo desejo não pode desviar, e línguas que não podem confundir, e de que os estudiosos não ficam fartos, nem desgastados pela repetição, e tem inúmeros aspectos admiráveis. É um livro que não podia deixar de dizer:

 

“Temos certamente ouvido um Alcorão maravilhoso, guiando para o que é certo na crença e ação e assim acreditamos nele. “Quem fala com base nele fala a verdade; quem julga com ele julga com justiça e quem convoca a ele, convoca à verdade. (Tirmizi, “Sawab Alcorán”, 14)

 

Concluímos este tema com a definição do Alcorão por Bediuzzaman Said Nursi, um ilustre estudioso muçulmano que iniciou um movimento de renascimento islâmico na Turquia, durante a primeira metade do século XX: O Alcorão é uma tradução eterna do grande livro do Universo e do tradutor eterno

das “línguas” em que as leis Divinas da criação e funcionamento do universo estão “inscritas”; o intérprete dos livros do mundo material e o Mundo Invisível; o divulgador dos tesouros imateriais dos Nomes Divinos ocultos na terra e nos céus, a chave das verdades situadas abaixo das linhas dos eventos; o Mundo da língua do Invisível no mundo visível e material; o tesouro dos favores do Clemente e as reflexões eternais do Glorificado vindos do Mundo invisível além do véu deste mundo visível; o sol do mundo espiritual e intelectual do Islam , bem como sua fundação e plano, o mapa sagrado do Outro Mundo, o expositor, o intérprete lúcido, a prova articulada, o tradutor claro da Essência Divina, os Atributos, os Nomes e atos; o educador e o formador de mundo humano, a água e a luz do Islam, a verdadeira e enorme humanidade, a verdadeira sabedoria da humanidade e a verdadeira orientação que os leva para a felicidade. Para a humanidade, é um livro de direito, de oração, de sabedoria, de adoração e de servidão a Deus, mandamentos e convite, invocações e reflexão. É um livro sagrado contendo livros para todas as nossas necessidades espirituais, um livro celestial que, como uma biblioteca sagrada, contém numerosos folhetos a partir dos quais todos os santos, as pessoas verdadeiramente eminentes, todos os estudiosos purificados e de discernimento, bem como os versados no conhecimento de Deus tem derivado sua própria maneira específica, e que iluminam em cada sentido e respondem às necessidades dos seguidores.

 

Tendo vindo do Trono Supremo de Deus, originado em Seu Maior Nome, e emitido a partir da mais compreensiva classificação de Nome, o Alcorão é a palavra de Deus (Sendo o Senhor dos mundos) e Seu decreto (em relação de Ele ter o título de Divindade de todas as criaturas). É um discurso em nome do Criador dos céus e da terra, um discurso do ponto de vista da absoluta Senhoria Divina, e um sermão eterno em nome da Soberania Universal do Todo-Glorioso. É também um registro dos favores do Clemente, do ponto de vista de toda a misericórdia; uma coleção de mensagens, algumas das quais começam com uma cifra, um livro sagrado que, tendo sido enviado pelo grande círculo em torno do Nome Divino, examina e pesquisa no círculo rodeado por Seu Trono Supremo. Por isso, o título de “a Palavra de Deus” foi (e sempre será) dado ao Alcorão. Depois do Alcorão vêm os livros e pergaminhos enviados para outros Mensageiros. Algumas das outras inúmeras palavras divinas são inspirações vindas como manifestações particulares de um aspecto particular da Divina Misericórdia, Soberania e Senhorio sob um título especial e com uma conta particular. As inspirações concedidas aos anjos, seres humanos e animais variam muito quanto à sua universalidade ou particularidade. O Alcorão é um livro divino, que contém, em resumo, as Escrituras reveladas para os Mensageiros anteriores em diferentes períodos, e o conteúdo dos tratados de todos os santos com temperamentos diferentes, as obras de todos os purificados estudiosos, cada um seguindo um caminho especial para si mesmo; os seis lados brilhantes e absolutamente livres das trevas de dúvidas e de pensamentos lunáticos cujo ponto de apoio é com certeza a eterna Revelação Divina, cujo objetivo é manifestamente a felicidade eterna, e cujo interior é manifestamente orientação pura. Ele é cercado e suportado, de cima para baixo, pelas luzes da fé, de abaixo por provas e evidências, da direita pela submissão do coração e da consciência, e da esquerda pela admissão da razão e das faculdades intelectuais. Seu fruto é com absoluta certeza a misericórdia do Clemente e o Paraíso; ele foi aceito e promovido por anjos e inúmeras pessoas e gênios através dos séculos