• islamedialogo1

Argumentos para a Unidade Divina

Colocado no site em 27.10.2005 Autor M.Fethullah Gülen

M.Fethullah Gülen

Cada coisa, cada ser na existência engrandece a Unidade de Deus como uma verdade manifestada. Por exemplo, dos inumeráveis argumentos para Sua existência e Unidade, a vida considera: Ele cria todas as coisas de uma só e cria uma de numerosas coisas. Institui incontáveis órgãos e sistemas no corpo animal pelo fluido que leva o esperma e também pela simples água que é bebida. Desta maneira, criar de uma coisa todas as demais, é seguramente a obra de Alguém absolutamente Onipotente. Assim mesmo, Alguém que transforma com perfeita ordem numerosas substâncias contidas em inumeráveis espécies de vegetais ou em alimento animal, em corpos particulares, colocando neles uma única pele para cada um, e vários membros do corpo, seguramente é Alguém Onipotente e que tudo sabe.

● Se você considerar o ar, também pode ver neste Sua inegável Unidade. O ar é um maravilhoso condutor: conduz inumeráveis sons, vozes, imagens e outras tantas coisas como o raio, o travão etc. Conduz tudo no mesmo instante, sem a menor confusão e sem que uma coisa obstrua a outra. Isto demonstra explicitamente que há Alguém, sem associados, que criou todas as coisas segundo Sua Sabedoria e as controla e as administra.

● O universo se assemelha a uma árvore, que cresceu procedente de uma semente que contém todas as instruções da futura forma da árvore. Assim que todas as coisas no Universo estão estreitamente relacionadas umas com as outras. Cada partícula no corpo por sua vez está inter-relacionada com as demais, como por exemplo, uma partícula situada na pupila do olho está inter-relacionada com o olho, assim como também com a cabeça, e as faculdades reprodutivas — a atração e a repulsão —, com as veias e as arteiras do sistema circulatório, com o sistema nervoso central, com o sistema locomotor e com o resto dos sistemas, órgãos e componentes do corpo humano. Isto evidentemente mostra o trabalho de Alguém que não é cego, na que todo corpo, incluindo cada uma de suas partículas compõem a obra prima de Alguém Externo e Onipotente, que tudo obedece Sua ordem.

● Uma molécula de ar pode pousar sobre qualquer flor e qualquer fruta. Também pode penetrar e agir dentro delas. Se não estivesse submetido às ordens de Alguém absolutamente Onipotente, essa molécula errante e gasosa teria que conhecer todos os sistemas, todas as estruturas de todas as flores e frutas e como foram formadas até suas linhas moleculares periféricas por si mesma. Por tanto, a molécula, mostra os raios de uma luz de Divina Unidade como um sol. Você pode comprar desta maneira a luz, a terra e a água com o ar.

● Em qualquer acontecimento, a fonte original das entidades, aqueles compostos químicos básicos de todos os seres vivos são, segundo a ciência, o hidrogênio, o oxigênio, o carbono e o nitrogênio, componentes da terra, o ar, a água e a luz. Também, em cada partícula existe dois testemunhos mais verdadeiros da necessária existência e unidade do Criador: apesar de sua absoluta ineficácia, cada partícula é capaz de fazer uma grande variedade de deveres significativos, e apesar de sua inércia, por atuar em conformidade com a ordem universal, cada partícula exibe uma consciência universal. Isto significa que, cada partícula testemunha, através de sua impotência, perante a necessária existência do absolutamente Onipotente, e atuando em conformidade com a ordem do universo, perante Sua Unidade.

● Das criaturas vivas, um ser humano, por exemplo, é simplesmente uma miniatura do Universo, um fruto da árvore da criação, uma semente deste mundo que contém os modelos da maioria dos seres vivos. É como se esse ser vivo fosse uma gota destilada de todo o Universo no equilíbrio mais sutil e sensível. Isto significa que, para criar este ser vivo e ser, o Senhor requer ter sobre ele uma livre disposição de todo o universo.

Desta maneira, alguém que não está cheio de fantasias e delírios, entenderá que os seguintes exemplos são estampas únicas do Criador de todos as coisas e o Senhor absolutamente Majestoso do Universo: uma abelha operária que contém um ramalhete da maioria das belas características; para circunscrever, por exemplo, no homem, a maioria dos traços do universo; para incluir, em uma diminuta semente de figo, a informação genética de toda a figueira, e para exibir, por exemplo, no coração do homem, as obras de todos os Nomes Divinos que estão manifestados por todo o universo, e para registrar na memória humana, que está situada em um lugar do tamanho de uma lentilha, os “escritos” suficientes para encher uma biblioteca, e incluir num índice detalhado de todos os acontecimentos dos cosmos.

● A vida em todo o Universo desdobra uma sinfonia de cooperação mútua. Precisamente como os membros, órgãos e sistemas, inclusive as células, de um corpo animal vivo, todas as partes do Universo se apóiam e ajudam umas as outras. Por exemplo, uma só maçã que começa sua existência recebe a ajuda do ar, da água, da terra, do sol e inclusive de todas as partes do universo, que cooperam para seu correto crescimento. Como os componentes de uma fábrica ou os blocos de construção dum palácio, as criaturas se apóiam umas nas outras, buscam ajuda e cooperam para encontrar as necessidades das outras. Em uma perfeita ordem todas trabalham juntas. Unindo esforços, servem aos seres vivos. Os elementos na terra vêm em ajuda às plantas: servem no seu começo da existência e mantém suas vidas. A maioria dos animais vive das plantas e o homem subsiste se alimentando das plantas e dos animais. Desta maneira, os elementos constituem os pilares da constituição física dos seres vivos.

Certamente, atuando de acordo com a regra de auxílio mútuo que está em vigor em todo o universo, desde o Sol e a Lua, a noite e o dia até o inverno e o verão, desde as plantas que vêm ajudar aos animais necessitados e famintos, e os animais que se apressam em auxiliar aos homens fracos e necessitados até as substâncias nutritivas que põem tudo seu empenho em ajudar as crianças — frutas e partículas de comidas delicadas e indefesas, se movendo para ajudar às células do corpo —, todos e todas demonstram a qualquer um que não esteja totalmente cego que estão atuando através do poder de um só Educador Muito Generoso, e que estão à ordem de um único Administrador Muito Sábio.

● A providência e o favor universais incluídos na sabedoria universal que é claramente aparente na criação determinada das coisas, a extensa misericórdia evidente que vem da providência, e o sustento universal requerido por aquela misericórdia para prover a todos os seres vivos com o alimento que necessitam, formam um selo de Unidade Divina tão brilhante que ninguém que não tenha perdido todo seu poder de visão e raciocínio a verá e entenderá.

Como um ser individual com a necessidade da substância para manter sua vida, vemos que todos os seres no mundo, especialmente os vivos, universais ou particulares, todos ou em partes, tem muitas necessidades, matérias e de outro tipo, para sua existência, vidas e mantimento das mesmas. Necessitam de tantas coisas que ainda que sejam capazes de obter o mínimo delas, vemos que todos seus requerimentos, sua substância material e imaterial, são encontrados por eles inesperadamente, com perfeita ordem, no seu momento apropriado de uma maneira adequada e com perfeita sabedoria. Este desejo e necessidade das criaturas e esta maneira de ajuda e assistência que vem do invisível não demonstra tão claramente como o Sol a um alimentador ou Majestade Totalmente Sábio, um Provedor de Graça totalmente Compassivo?

● Considere o Sol: desde os planetas até as gotas de água, os fragmentos de vidro e os cintilantes flocos de neve, um radiante efeito particular é evidente para o Sol. Se você não aceita que os pequenos sóis que aparecem nestas inumeráveis coisas são as manifestações do reflexo do Sol, então você terá que aprovar o absurdo de aceitar a existência atual dum Sol em cada gota de água, em cada fragmento de vidro e objeto transparente que enfrenta a luz do Sol.

Se as imagens dos reflexos do Sol nas gotas de água e os fragmentos de vidro e as diversas cores nas flores não são atribuídos ao Sol, então será necessário aceitar a existência de inumeráveis lugares de um único Sol. O qual é uma superstição completamente inconcebível. Da mesma maneira, se tudo no Universo não for atribuído a Deus, absolutamente Onipotente, será necessário aceitar, no lugar de um só Deus, tantos deuses como partículas no Universo. Isto significará chegar ao extremo de aceitar umas cem coisas inconcebíveis.

● Deus dá vida durante a primavera e o verão a centenas de milhares de espécies de plantas e animais com completa diferenciação e especificação, perfeita ordem e separação sem confusão nem mistura. Ele “estende” sobre a face da terra as porções individuais de centenas de milhares de espécies diferentes sem falta, deixando de lado o erro ou a deficiência, e de uma forma muito bem equilibrada, bem proporcionada, ordenada e perfeita. Isto evidentemente assinala Alguém com Majestade, um Onipotente, Alguém com Perfeição, Alguém Sábio com Graça e Beleza, Alguém que tem um infinito Poder, um Conhecimento que tudo abarca e uma vontade capaz de governar todo o Universo.

Assim mesmo, considere as surpreendentes operações Divinas ao longo e largo da Terra durante a primavera e o verão. Pois essa atividade é absolutamente extensa e alem disso é rápida, feita em ordem absoluta, com uma beleza artística e uma forma de criação mais que perfeitas. Portanto, este é um selo tal que só o Único com conhecimento infinito e um poder ilimitado pode possuir. Esse selo certamente pertence a Alguém que, ainda que não resida em nenhuma parte, está totalmente presente e é completamente visível em todas as partes. Nada está oculto para Ele, nem é difícil para Ele. Com respeito ao Seu Poder, as partículas e as estrelas são exatamente iguais.

● As sementes semeadas em um campo demonstram que o campo e as sementes, ambos por igual, pertencem ao seu Dono. Assim mesmo, os elementos fundamentais da vida — como o ar, a água e a terra — são universais e estão presentes em todas as partes apesar de sua simplicidade, e cada um é da mesma natureza em todas as partes, e as plantas e os animais se encontram em todos os lados apesar de sua natureza essencial similar com respeito às diferentes condições da vida, e isso demonstra que estão abaixo da disposição de um só Criador que estende milagres de tal maneira que cada flor, cada fruta, e cada animal é uma marca, um selo, uma assinatura do Criador. Onde quer que se encontrem, cada um proclama em sua língua que: “De quem quer que seja a marca que levo, esta situação também é de Sua Criação. De quem quer que seja o selo que levo, este lugar também é uma carta Sua. De quem quer que seja esta assinatura que revelo, esta terra também é de Seu tecido”. Isto significa que somente aquele que tem todos os elementos sob Seu Poder pode possuir e sustentar a menor das criaturas, e qualquer um que não esteja cego pode ver que só o Único que exercita o Senhorio sobre as plantas e animais podem possuir, sustentar e governar as mais simples delas.

Na língua da semelhança para os outros indivíduos, cada ser individual diz: “Só o que possui minha espécie pode ser meu dono, não de outra maneira”. Na linguagem do ser que está sobre a face da Terra junto com outras espécies, cada uma diz: “Somente o que possui toda a face da terra pode ser nosso dono, não de outra maneira”. Na língua do ser limitada ao Sol, juntos com outros planetas, e de suas mútuas relações com os céus, a Terra diz: “Só o que possui todas estas coisas pode ser meu dono, não de outra maneira”. Suponha que as maçãs tivessem consciência e que alguém vai dizer a uma delas: “Você é minha obra de arte”, a maçã o responderia, dizendo: “Cale-se! Se é capaz de criar a todas as maçãs sobre a Terra, ou melhor se tem uma livre disposição sobre todas as árvores espalhadas na Terra que dão frutos, e todos os presentes do Único Todo Misericordioso procedentes do tesouro da Misericórdia em barcos carregados. Só então pode exigir o governo sobre mim”.

● Como foi explicado acima, que as incontáveis frutas de uma árvore dependem de uma lei de crescimento desde um ponto central estabelecido, é tão fácil e factível de crer numa só fruta como muitas delas. Em outras palavras, a multiplicidade dos centros requer para uma só fruta tanta fadiga, tantos gastos para toda a árvore, como para manufaturar a equipe militar necessária de um só soldado se requerem todas as fábricas do exercito. Isso significa que, quando um só resultado conectado a numerosos indivíduos depende de uma multiplicidade de centros, tantas dificuldades como números de indivíduos surgiram. Desta maneira, a extraordinária comodidade claramente se vê em todas as espécies surgidas na unidade.

A correspondência e semelhança nas características básicas entre todos os indivíduos de uma espécie e todas as divisões de um gênero, provam que são as obras de um só Criador, enquanto são “inscritas” com a mesma pena e selo. Alem disso, absoluta facilidade observada no começo da sua existência, a falta de dificuldade, requer, até o ponto de ser necessário e inevitável, que sejam as obras de um Criador. De outra maneira as dificuldades que podem chegar ao extremo de fazer impossível sua existência condenariam a esse gênero e a essa espécie a falta de existência.

Para concluir: Quando atribuem a Deus Todo Poderoso, todas as coisas se voltam tão fáceis como uma só, enquanto que se são atribuídas às causas, uma só coisa se volta tão difícil como todas demais. Já que isto é assim, o baixo custo de seu sustento e a facilidade extraordinária observada no Universo e a abundância infinita diante de nossos olhos desprendem um selo de unidade como o Sol. Se estes frutos que obtemos em tanta abundância e por tão pouco custo não fossem propriedade do Único da Unidade, inclusive se déssemos todo o mundo em pagamento, não teríamos uma só fruta para comer, já que esta precisa da cooperação determinada e consciente de tantos e universais elementos como a terra, o ar, a água, o calor do Sol e a semente em si, que são todos inconscientes e atuam a disposição de um só Criador, que é Deus Todo Poderoso. O preço de uma só fruta é todo o Universo.

● Precisamente como a vida, que manifesta a Graça Divina, é um argumento e prova para a Unidade Divina, também a morte, que manifesta a Majestade Divina, é um argumento e prova para a Unidade Divina.

Por exemplo, as borbulhas na superfície de um rio mostram a imagem, a luz e o reflexo do Sol, o que faz também por sua vez os objetos transparentes reluzindo sobre a face da terra. Estes feitos testificam a existência do Sol. Apesar de desaparecer ocasionalmente as borbulhas resplandecentes sobre as águas do rio (por exemplo, quando passa debaixo duma ponte), a esplêndida continuação das manifestações do Sol e a dispersão interrompida de sua luz sobre os sucessivos grupos de borbulhas que são testemunho decisivo de que as pequenas imagens do Sol, as luzes que logo aparecem e logo desaparecem, cintilam e se perdem, e logo se renovam, tudo em soma a evidência de um único Sol, que dura muito, e perpétuo, que continua manifestando-se desde as alturas. Por tanto, essas borbulhas cintilantes que através da sua aparição demonstra a existência do Sol, desprendem sua continuação e unidade através de sua desaparição e extinção.

Precisamente da mesma maneira, estes seres que estão em continuo movimento testificam através da sua existência e vida a necessária existência e Unidade do Ser necessariamente Existente. Referendam sua Unidade, Eternidade e Permanência através de sua decadência e morte. Precisamente como a beleza, as delicadas criaturas que são rejuvenescidas e recrutadas junto com a alteração do dia e a noite, o verão e o inverno, e a passagem dos séculos e épocas, seguramente mostram a existência, Unidade e Permanência de Alguém Elevado e Perpétuo com uma continua dispersão de beleza, para que a decadência e morte daquelas criaturas demonstrem que as causas (matérias ou naturais) não são outra causa que um simples pretexto. Isto e um feito que decisivamente prova que estas artes, estas inscrições, estas manifestações, constantemente renovadas, são as inscrições que mudam, os espelhos movediços de Alguém com Majestade Totalmente Belo.

● Por exemplo, o desenho e adornos de um palácio perfeito mostram a perfeição da obra de um construtor mestre. A excelência dos atos mostra a perfeição dos títulos deste eminente construtor, que especifica sua categoria. A excelência dos títulos mostra a perfeição dos atributos do construtor que são a origem de sua arte. A perfeição da arte e os atributos mostram o refinamento das habilidades e a capacidade essencial desse mestre. A perfeição dessas habilidades e capacidades essenciais mostra a perfeição da natureza essencial do mestre.

Justamente da mesma maneira, estas obras irrepreensíveis observadas no universo, esta arte nos seres do Universo tão bem ordenados, marcam evidentemente a perfeição dos atos de um Agente Efetivo e Poderoso. A perfeição desses atos claramente assinala a perfeição desses Nomes do Agente Majestoso. Essa perfeição necessariamente marca e testifica a perfeição dos atributos do Majestoso conhecido com os Nomes. A perfeição dos Atributos certamente assinala e testemunha a perfeição da capacidade e qualidades essenciais do Perfeito qualificadas por aqueles Atributos. A perfeição da capacidade e qualidades essenciais marcam com uma certeza tão absoluta a perfeição do Único, o qual possui tanta capacidade e qualidades que todos os tipos de perfeições observadas por todo o Universo são somente sinais de Sua Perfeição, insinuações de Sua Majestade, e alusões a Sua Beleza, nas formas de Sombras pálidas e débeis em comparações com Sua Perfeita Realidade.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo